Education Technology

5 dicas para a transição para o ensino remoto

Posted 04/14/2020 by Erica Schiller

Richard Snow

Richard Snow é formador do grupo T³ e especialista em ensino à distância. Foi o primeiro professor a usar o software emulador das calculadoras gráficas da TI quando ensinava os alunos em contexto online. A ensinar remotamente há 15 anos, partilhou connosco algumas dicas. Snow aprendeu muito sobre comunicação quando visitou uma comunidade de alunos que ensinava à distância. Os seus alunos encontravam-se em sítios tão remotos a que só se chegava de avião. Quando voou para os visitar, juntos conversaram ao sabor de donuts e um comentário de um dos alunos marcou-o: "não parecia tão mau em pessoa como parecia online".

  1. A paciência é uma virtude

    Ter paciência, é a dica número um de Snow para os professores que transitam de aulas presenciais para ambientes virtuais. Vão descobrir que algumas coisas são diferentes em contexto online. Ensinar em ambiente virtual requer um conjunto de habilidades diferentes, e os alunos reagirão de forma diferente. O conselho que dá é: “Tente não ser tão duro consigo próprio e tenha ânimo. Vai levar tempo a ajustar-se, aceite que isso não irá acontecer no primeiro dia. "

  2. Crie laços e a aprendizagem virá

    Uma vantagem que os professores têm na transição da sala de aula para um ambiente online, é que os relacionamentos já foram formados. Já esteve com estes alunos durante uma boa parte do ano letivo. Não fale apenas, crie uma conversa como costuma fazer na aula, mantenha-a interativa e divertida.

  3. Estrutura cria ligação

    Em ambiente online, os alunos aprendem em isolamento mas têm necessidade de interação social. Para construir essa socialização virtual, é preciso que crie um ambiente de diálogo. É importante ter uma estrutura montada para responder às perguntas dos alunos de forma a que se sintam ligados. “Independentemente da ferramenta de comunicação - email, fórum de discussão, aplicação ou horário de trabalho virtual - é fundamental definir uma expectativa de quando retomará as comunicações e é essencial seguir o calendário. Ao fornecer consistência aos alunos, está a ajudá-los a sentirem-se menos ansiosos e mais ligados”, explica Snow.

    No fórum de discussão, em vez de responder imediatamente, responda fazendo mais perguntas; questione o resto da turma. Use técnicas de questionamento e solicite o feedback dos alunos para aumentar o envolvimento.

  4. Deixe que o ouçam rir!

    Snow percebeu que, concentrando-se apenas no ensino do currículo, sem prestar atenção ao seu tom, não estava a fazer passar a mensagem de uma forma acessível. Desde então, fez um esforço para infundir humor na sua comunicação virtual com os alunos. “Use o seu bom senso e bom humor para se ligar com os alunos online. Cumprimente-os quando fizerem login e tente fazer uma piada. A receptividade para a aprendizagem é muito maior ”, explica.

    "Sarcasmo não," clarificou. "Se está a ensinar adolescentes, os seus cérebros ainda se estão a desenvolver e, embora se possam rir, não entendem ou gostam de sarcasmo da mesma forma que os adultos."

  5. Aproveite novas oportunidades

    Esta é uma oportunidade para aprender como usar novas ferramentas que podem complementar o ensino presencial no futuro. Quem sabe? Pode até abrir os seus horizontes para novas oportunidades na maneira como ensina. Mesmo o ensino presencial pode beneficiar do uso apropriado da tecnologia.